“As raparigas de Riade”, Rajaa Al-Sanea

AsRaparigasDeRiadeSinopsis:
“As Raparigas de Riade é uma história ficcionada sobre os amores, sonhos, desilusões de quatro jovens muçulmanas que nos mostra como é a vida “por detrás do véu” das mulheres sauditas. A história é desvendada sobre a forma de e-mails semanais de uma narradora feminina anónima para um público internauta de um grupo de chat. Durante um ano, acompanhamos as vidas de Qamara, Michelle, Sadim e Lamis, na luta pelo amor, pelo sucesso profissional e pela sua rebeldia às tradições ancestrais: Sadim vê-se confrontada com o fim do seu casamento fugaz, pois entre o espaço que medeia o casamento no registo e a oficialização religiosa, cedeu em entregar-se ao marido, o que foi entendido como uma ousadia, nada digna de uma mulher muçulmana. Qamara descobre pouco tempo após o seu casamento, que o desdém de Rajid advém de uma relação que mantém há anos com uma japonesa. O namorado de Michelle abandona-a porque a mãe dela é americana e cede à vontade da família em casar-se com a prima a quem estava prometido. Só Lamis encontra o verdadeiro amor, apenas porque não fechou os olhos aos trâmites sociais.
Considerado a versão árabe de O Sexo e a Cidade, banido no seu país de origem, a publicação deste livro levantou críticas e vozes de apoio numa sociedade assente em regras sociais muito rígidas, onde as mulheres ainda são segregadas, que luta entre o respeito pelos valores tradicionais e o desejo de se tornar uma voz válida e independente.”

Comentarios:
Si todo lo que se oye de Arabia Saudita es verdad, no me extraña que este libro haya “revolucionado” a los más conservadores… Por mucho que intente comprender su cultura, ciertas actitudes no pueden sino causarme rechazo. Cómo es posible que se piense de esa forma? La libertad de expresión (o de cultura) es una cosa, pero cuando atenta contra la libertad del prójimo (o de “la prójima”, más bien…), deja de serlo…

Frases:
“Não importa que faças algo que todos desaprovem, pois o que te parece ser correcto pode não sê-lo aos olhos dos outros” Ellen Cady
“Apenas os que arriscam podem saber até que ponto lhes é possível chegar” T.S.Elliot
“Não acordem a mulher que amam. Deixem-na sonhar, para que não chore quando regresse à amarga realidade” Mark Twain

De mi anterior blog “Leituras & Lecturas” ya desactivado.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s