“Filhas do deserto”, Waris Dirie

FilhasDoDesertoSinopsis:
“Top model, embaixadora da ONU e possuidora de uma coragem extraordinária, Waris Dirie nasceu no seio de uma tribo dos desertos da Somália. Em A Flor do Deserto, ela contou a sua história enquanto vítima de excisão aos 5 anos de idade. Decidida a escapar à miséria e às condições extremamente adversas a que estão destinadas as mulheres no seu país, Waris fugiria através dos desertos, acabando por ser descoberta por Terence Donovan e por tornar-se numa das modelos mais requisitadas. Aurora no Deserto dá-nos a conhecer o seu percurso e experiências como embaixadora das Nações Unidas contra a MGF (mutilação genital feminina), bem como o comovente momento em que reencontrou a sua família, na Somália. Neste seu terceiro livro, Waris conta-nos como, juntamente com a jornalista Corinna Milborn, investigou a prática de MGF na Europa – estima-se que, pelo menos, 500 mil mulheres e raparigas tenham sido vítimas de MGF. Neste momento, a França é o único país que aplica, de facto, a legislação contra esta prática. Entretanto, nenhum país europeu reconhece oficialmente a ameaça de mutilação genital como motivo para asilo. Neste livro estão as vozes das mulheres que se sentiram motivadas pela coragem de Waris Dirie. Pela primeira vez elas fazem ouvir a sua voz.”

Comentarios:
¿Mutilación genital femenina (MGF) en Europa en aumento? ¿Cómo es posible? Tanto “luchar allá”, que nos olvidamos de que el trabajo debe empezar aquí. ¿Sensibilización? ¿Suficiente?

Frases:
“O problema reside precisamente nesta falta de comunicação entre homem e mulher”
“Se esperamos a que a maioria esteja convencida, será uma longa espera e não nos devemos surprender se nada mudar. Na História, as mudanças são causadas por actos individuais… por heróis ou heroínas individuais”
“Não queremos ter outras pessoas a dizerem-nos como devemos lidar com a nossa própria cultura”
“Só uma mulher africana pode ajudar uma mulher africana”
“A mutilação genital não é cultura, é uma violação dos direitos humanos”
“Se não respeitarmos as suas atitudes, não vamos encontrar a forma correcta de atacar a MGF e conseguir a sua abolição. Só quando a mulher tiver acesso à educação e à emancipação é que estará em posição de se opor a estas tradições nocivas”
“Uma criança sozinha não pode proteger-se”
“As mulheres africanas são mutiladas, as europeias decidem ir à faca. Aqui, onde tantas pessoas abanam as cabeças em sinal de repúdio pelas nossas práticas bárbaras, as mulheres submetem-se a intervenções cirúrgicas na busca da beleza”
“Quando falamos de África, as pessoas dizem que são homens que o exigem mesmo que sejam as mulheres a fazê-lo. E aqui na Europa? Também aqui as mulheres querem ajustar-se a uma versão idealizada – presumivelmente o ideal masculino – do que é considerado belo. Para quem se não eles são desenhadas estas vaginas de encomenda?”
“O que choca é que os números apontam para um aumento da mutilação genital na Europa”
“A mutilação genital desapareceria de um momento para outro se os líderes das religiões do mundo dissessem: ‘A mutilação é contrária aos princípios éticos da nossa comunidade religiosa. Acabem com ela’. Bastavam esta cinco palavras: ‘é contra a nossa religião’ para pôr fim a este horror”
“Holanda é considerado um país modelo no que toca à tolerância. Aquilo que não for expressamente proibido é permitido”
“A posição do Islão é muito clara. Há um consenso de que a MGF não deve ser praticada. A MGF é um crime contra as mulheres […]. Não há qualquer referência a esta prática em todo o Corão e muito menos qualquer recomendação para que seja seguida […]. O Profeta Maomé, que todos os muçulmanos tentam emular, não mandou circuncidar as filhas”
“É vital sensibilizar as pessoas de um modo que não seja interpretado como uma intromissão paternalista dos europeus”
“Os imãs devem pregar contra a MGF com grande convicção nas suas mesquitas. Todos os imãs do mundo deviam seguir este conselho. Se assim fosse, o problema seria rapidamente erradicado”
“É como se a sociedade decidisse que é melhor as crianças viverem com um olho só e, como tal, arrancam o outro olho”
“Ninguém está a ouvir. Porque ninguém suporta ouvir a verdade”

De mi anterior blog “Leituras & Lecturas” ya desactivado.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s